O objetivo final da aula de equitação é proporcionar ao aluno a capacidade de galopar de forma segura, permitindo que ele desfrute plenamente do prazer de montar.

Por que saber montar é importante quando gostamos de andar a cavalo?

Temos que entender que o cavalo é um animal de fuga. Na natureza, ele é presa e não predador. Todos os seus sentidos, como olfato, visão e audição, são muito mais aguçados do que os do ser humano. Sendo assim, ao menor sinal de perigo, ele pode tomar uma ação inesperada.

Como diria uma atleta olímpica que sofreu um sério acidente ao montar seu cavalo dentro da pista em sua casa: “Ao montar um cavalo, espere pelo inesperado”.

Quais são os movimentos dos cavalos?

O cavalo tem 3 movimentos: passo, trote e galope

Passo: é um movimento lento e suave, em que o cavalo move uma pata de cada vez. É o movimento mais básico do cavalo e é usado para caminhar em terrenos planos.

Trote: é um movimento de dois tempos, no qual o cavalo move as patas diagonais juntas. É um movimento mais rápido do que o passo e pode ser usado para cobrir distâncias maiores. Aqui já se inicia a necessidade de conhecimento por parte do cavaleiro(a) para montar, sem esse conhecimento, andar no trote e “quicar” na sela.

Galope: é um movimento de três tempos, no qual o cavalo move as patas em uma sequência de três passos. É o movimento mais rápido do cavalo e é usado para corridas ou para se mover rapidamente em terrenos acidentados. Novamente, aqui a técnica é fundamental para a segurança e o equilíbrio do cavaleiro(a).

Como o cavaleiro(a) deve se portar em cada movimento do cavalo?

Em geral as pessoas acham que é só subir no cavalo e andar mas não é bem assim.

A posição correta do cavaleiro é fundamental para garantir a qualidade dos movimentos do cavalo. Quando o cavaleiro está em equilíbrio, com o peso distribuído de forma adequada e os músculos relaxados, o cavalo consegue se mover com mais facilidade e fluidez. 

Por outro lado, se o cavaleiro estiver desequilibrado ou com a postura incorreta, isso pode interferir na comunicação entre cavalo e cavaleiro, tornando os movimentos mais difíceis e menos precisos.

Quanto aos efeitos dos movimentos do cavalo sobre o cavaleiro, é importante destacar que montar a cavalo é uma atividade física que exige esforço muscular e equilíbrio. 

Vamos tomar o exemplo do trote e galope:

Trote: para uma montaria equilibrada e confortável, é necessário “levantar e abaixar” seguindo o ritmo do cavalo, bem como saber a diagonal correta.

Galope: No galope, é importante acompanhar o movimento do cavalo com o quadril e garantir que o cavalo esteja galopando na “mão” correta.

Os movimentos do cavalo podem ajudar a fortalecer os músculos do cavaleiro, melhorar a postura e até mesmo proporcionar benefícios para a saúde mental, como a redução do estresse e o aumento da sensação de bem-estar.

Cavalo tem comando?

Sim, os cavalos são treinados para atender a comandos específicos. A quantidade de “comandos” pode variar dependendo da atividade para a qual esse animal foi preparado.

Portanto, ao montar um cavalo, é importante saber qual comando usar. Muitos acidentes ocorrem devido ao uso incorreto, e o cavalo pode entender que o cavaleiro(a) quer galopar quando na verdade apenas quer andar, por exemplo.

E a preparação do cavaleiro(a)?

Na prática de qualquer esporte, grupos de músculos são utilizados. A equitação é o segundo esporte mais completo, pois trabalha várias partes do corpo.

As pernas e os glúteos são o ponto focal. É com essa combinação, juntamente com o trabalho de equilíbrio, que se obtém uma boa montaria. Além disso, os braços também trabalham segurando as rédeas e mantendo a sensibilidade do toque na boca do cavalo, praticamente pilotando o cavalo. As costas trabalham em conjunto com o movimento dos glúteos na sela. Os tornozelos servem de apoio e flexibilizam no estribo, ajudando no equilíbrio. Há muito mais do que apenas montar para ser perceptível.

Frase de um personal trainer após sua primeira aula: não imaginava que na equitação se trabalhava tanto corpo.